Tuesday, November 07, 2006

Abismo-me neste campo de bananais abandonados ao cultivo, alheio à floresta de betão vendida por três tostões e um T2, e a tantos outros projectos que emergiram de Planos Directores Municipais, ora suspensos, ora mergulhados em banhos-maria de ilegalidade. Será esta uma visão doutrinária de uma nova Política Agrícola Comum? Coube a Espanha a especialização da produção do tomate, da laranja; à Holanda a produção de tulipas e de ecstasy; a Portugal restou a indústria do calçado e os sapatos de Salazar. À Madeira, sobra o artesanato chinês que invadiu o mercado da Camacha. Trabalhar os vimes para quê, pergunto? "Para largar umas bordoadas a essa gente que não nos protege", respondem os velhotes. Entrego-me, enfim à lavoura, vendo chegar tantos outros navios carregados com o mesmo produto que arduamente cultivo, mas que trazem no bico esses preços de cigano.

O lavrador

Thursday, September 28, 2006

A decisão de criar este blog mais do que um capricho é resultado de uma necessidade: a necessidade de abrir um canal disposto a defender a Madeira daqueles que querem destruir o que é ser e merecer ser madeirense.

Pretendemos um espaço dinâmico, de crítica e de sugestão sobre as mais diversas realidades do quotidiano da ilha. Liberdade não é libertinagem e, por isso, a principal exigência deste blog é com a responsabilidade e com o bom-senso. Dizemos sim ao debate e não à balbúrdia.

O Alfaite